Por que crianças roem as unhas?

0 Flares Facebook 0 Email -- 0 Flares ×

Seu filho tem o hábito de roer as unhas? Então, é importante que você saiba que muitas podem ser as causas por trás desse habito nada saudável. Além deste hábito ser prejudicial aos dedos, pode também causar desgaste nos dentes que são utilizados para roer as unhas, e ser uma porta de entrada para que as bactérias que estão nas mãos vão para a boca. As crianças podem roer as unhas por conta de ansiedade, estresse, imitação, curiosidade ou mesmo por tédio. Embora seja este um dos hábitos mais comuns entre os pequenos, juntamente com chupar dedos e colocar dedos no nariz, é importante que os responsáveis investiguem a raiz do problema para evitar que o hábito de roer as unhas continue na vida adulta.

Por que crianças roem as unhas?

Uma das razões mais comuns para o hábito de roer as unhas é a ansiedade. Embora muitas vezes nós adultos não conseguimos perceber, fato é que crescer pode gerar muitas inseguranças em uma criança e essa insegurança pode ser descontada nas unhas.

Nesse caso,o hábito de roer as unhas deve ser encarado como um sinal de alerta, já que é também  uma forma que a criança tem de chamar a atenção sobre as suas necessidades mais íntimas.

É bem provável que a criança pare de roer as unhas com o passar do tempo.  Nesse caso, o seu papel como pai é observar se o seu filho rói as unhas moderadamente (não se machuca) e inconscientemente, ou em situações específicas (quando lida com estresse).

Se o hábito estiver relacionado a ansiedade ou estresse, se prolongar demais, ou você simplesmente não gostar que seu filho o faça, existem algumas formas de solucioná-lo. Preste atenção em nossas dicas e veja como proceder:

O que fazer para que a criança pare de roer a unha?

Como já mencionamos, a primeira atitude é investigar o que está desencadeando o hábito de roer as unhas.

Na maioria das vezes, a reação inicial é tentar pôr fim ao hábito sem lidar com a origem do comportamento – o que não é a melhor saída. Portanto, procure saber se existe algum fator estressante na vida da criança que precise ser tratado. Se necessário, pergunte ao seu filho porque rói as unhas e ajude-o a identificar as circunstâncias que o fazem roê-las. Depois, siga estes passos:

  • Faça o possível para amenizar o que gera tensão sobre o seu filho. Incentive a criança a desabafar sobre aquilo que preocupa.
  • Não reclame e não puna, porque seu filho pode não estar percebendo que está roendo as unhas. Além disso, uma pressão grande pode criar ainda mais tensão e intensificar o hábito.
  • Mantenha as unhas do seu filho bem curtas.
  • Atente para que seu filho tenha consciência do hábito de roer as unhas. Em alguns casos, você pode até colocar lembretes (um curativo na ponta do dedo, por exemplo) que chamam a atenção no momento em que vão roer a unha.
  • No caso das meninas vaidosas, vale o truque de fazer as unhas com desenhos coloridos como um incentivo para não roer as unhas e estragar a manicure.
  • Ofereça atividades alternativas para substituir a necessidade de roer as unhas. Atividades manuais costumam  funcionar bem. É importante lembrar que, se o hábito está ligado à ansiedade, ele pode ser substituído por atividades prazerosas.
  • Entretenha o seu filho em atividades que exijam bastante energia. 
  • Cubra seu filho de afeto e atenção, mesmo que ele não tenha muito sucesso em parar de roer as unhas. Lembre-se que vocês dois estão juntos na luta contra esse hábito.
  • Celebre as pequenas vitórias. Recompense o seu filho quando ele ficar um dia ou mais sem roer as unhas.

Visite um pediatra quando o caso for mais sério

Se o seu filho rói as unhas até sair sangue ou até ficar com os dedos doloridos, se a criança começou a roer as unhas de uma hora para outra, ou se o hábito ficou exagerado de maneira repentina, é preciso ficar em alerta e visitar um pediatra.

A sua preocupação como pai deve aumentar quando a criança rói as unhas e alia esta à outras manias preocupantes, como agressividade, medos exagerados, choro e baixa tolerância a frustração.

Assim, você em conjunto com o pediatra do seu filho pode encontrar a melhor estratégia para ajuda-lo a combater as causas  deste comportamento.

 

É o caso do seu filho? Entre em contato com a gente e agende agora mesmo uma consulta.

0 Flares Facebook 0 Email -- 0 Flares ×

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *